Infestantes do olival com interesse potencial na limitação natural da traça-da-oliveira, Prays oleae

A drástica supressão das infestantes associadas ao olival, praticada em muitas regiões, é apontada como afectando adversamente as populações de antagonistas dos inimigos da cultura, e consequentemente a sua eficaz actuação sobre estes. Entre estes inimigos, destaca-se pela sua importância económica, a traça-da-oliveira, Prays oleae (Bernard). Esta espécie, apesar de possuir um rico complexo de inimigos naturais, pode causar prejuízos importantes ao olival, assumindo nalguns condicionalismos, o estatuto de praga-chave. No contexto mencionado, este trabalho representa um primeiro passo na identificação/selecção de um conjunto de espécies da flora infestante do olival potencialmente interessantes para valorizar a acção de dois importantes inimigos naturais da traça-da-oliveira, nas condições da Beira Interior, o parasitóide Chelonus elaeaphilus e o predador Chrysoperla carnea. Em Outubro e Novembro de 2008 efectuaram-se inventários florísticos em 36 olivais localizados nos distritos da Guarda, Viseu e Castelo Branco. No total das amostragens identificaram-se 100 espécies. Destas seleccionaram-se 21 para posterior avaliação, tendo como base diversos critérios (e.g. informação bibliográfica sobre o seu interesse na valorização das espécies em análise, multifuncionalidade, época de floração e historial da sua ocorrência no olival)