EFICIÊNCIA DOS HERBICIDAS GLIFOSATO E GLUFOSINATO APLICADOS COM BICO ROTATIVO EM TRÊS VOLUMES DE PULVERIZAÇÃO NO CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

As plantas daninhas causam sérios problemas em vários cultivos, pois podem apresentar efeitos negativos por conta da comunidade infestante. Dentre as quais estão a Ipomoea sp. e a Brachiaria sp. Para o seu controle podem ser utilizados produtos fitossanitários sistêmicos e de contato, como o glifosato e o glufosinato, respectivamente. Além disto, o volume de aplicação também é de extrema importância para um controle eficaz. Neste contexto, o objetivo do presente trabalho foi verificar a eficiência de controle de plantas daninhas pelos herbicidas glifosato e glufosinato utilizando bico rotativo em três diferentes volumes e concentrações de caldas de aplicação. Para tanto, foram realizados seis tratamentos com Ipomoea nil e Brachiaria brizantha, e três repetições: glifosato (15, 22,5 e 30 L.ha-1) e glufosinato (15, 22,5 e 30L/ha). Através dos resultados foi possível observar que aos 4 dias após aplicação dos herbicidas em I. nil, o glifosinato apresentou um melhor controle inicial comparado com o glifosato, entretanto, no controle inicial (4 DAA) de B. brizantha, a aplicação de glifosato foi estatisticamente melhor. Aos 12 DAA, todos os tratamentos para B. brizantha atingiram 100% de controle. Após 16 dias da aplicação, os tratamentos não diferiram significamente pelo teste de Tukey ao nível de 5% para I. nil. e B. brizantha, porém nenhum dos tratamentos para I. nil. atingiu nível de 100%.