EFEITO DE DIFERENTES TIPOS DE COBERTURAS MORTAS SOBRE PLANTAS DANINHAS

O crescente interesse por alternativas mais sustentáveis de produção, visando à preservação do meio ambiente, tem incentivado a busca por novas técnicas de manejo, principalmente no que se refere ao controle das plantas daninhas. Este trabalho objetivou avaliar o efeito de diferentes coberturas mortas sobre a incidência de plantas daninhas; produtividade primária de sua biomassa; influência sobre umidade e temperatura do solo a 30 cm e da superfície das coberturas; subsidência das coberturas aos 30 e 60 dias após aplicação. O experimento foi conduzido na UAP/CCTA/UENF, utilizando parte aérea seca de alpinia (ALP), casca de café (CC), bagaço de cana (BC), parte aérea seca de capim elefante (CE), testemunha com capina (TC) e sem capina (TS), com 4 repetições, delineamento de blocos casualizados. Cyperus rotundus apresentou os maiores índices de valor de importância (IVI), freqüência relativa (Fr), densidade relativa(Dr) e dominância relativa (DoR), em todos os tratamentos, seguido por Rottboellia exaltata. A CC apresentou maior temperatura a 30 cm do solo, menor temperatura superficial, maior quantidade de palha decomposta e maior subsidência em relação aos outros tratamentos. ALP e CE apresentaram as menores temperatura de solo e as maiores sobre a superfície, menor decomposição da palhada e melhor eficiência no controle das plantas daninhas nos dois períodos levantados