ASPECTOS ECONÓMICOS E DADOS ECOFISIOLÓGICOS SOBRE INTERFERÊNCIA COMO SUPORTE ÀS DECISÕES DE GESTÃO DE INFESTANTES

Aspectos económicos como o custo de controlo e o valor monetário da produção devem ser aliados às informações ecofisiológicas de interferência para determinar o período adequado para gestão das infestantes. O objetivo deste trabalho foi determinar o intervalo inicial sem interferência económica baseados nos parâmetros citados e denominado período anterior ao dano real económico (PADRE). Desenvolveu-se um modelo matemático utilizando os aspectos económicos citados. Este modelo foi parametrizado com base em resultados da literatura. Os resultados obtidos a partir de diversas simulações confirmaram a hipótese de que o custo do controlo das plantas daninhas e o preço da produção podem ser utilizados como bons indicadores dos períodos de interferência das infestantes. Para a cultura avaliada (feijão), o PADRE diminui com o incremento do preço da cultura, ou com a redução do custo de controlo, ou com aumento do potencial produtivo cultura, indicando que nestas condições o controlo precoce das infestantes é economicamente justificável. O trabalho aponta algumas limitações encontradas na literatura científica e soluções para se obter o PADRE e os demais períodos de interferência.