INICIALISMO EM FEIJÃO: PARTIÇÃO DA BIOMASSA ENTRE PARTE AÉREA E RAÍZES EM FUNÇÃO DA INTERFERÊNCIA DE BRACHIARIA PLANTAGINEA

Recentes estudos têm demonstrado um novo mecanismo de interação negativa entre plantas cultivadas e daninhas, denominado inicialismo. Este mecanismo decorre da percepção precoce dos vegetais pela qualidade da luz no ambiente, alterando o padrão de alocação de biomassa entre parte aérea e raízes. A espécie daninha Brachiaria plantaginea (Link) Hitchc. é uma das principais infestantes das lavouras de feijão no Brasil. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a ocorrência de inicialismo em feijão cultivado (Phaseolus vulgaris L.) em função da interferência de B. plantaginea. Os tratamentos consistiram em manter a cultura do feijão na presença e ausência de B. plantaginea. As variáveis massa fresca e desidratada de ambas as espécies, separadas entre parte aérea e raízes, foram determinadas aos seis dias após a emergência da cultura e, a seguir, calculou-se a razão entre a parte aérea e raízes (PA:R) para massa fresca (PMf) e desidratada (PMd). Os valores da razão PA:R de PMf e PMd para as plantas de feijão sem infestantes foram cerca de 18 e 20% maiores, respectivamente, quando comparado aos tratamentos infestados. Estes resultados não confirmam a hipótese de inicialismo. Experimentos de casa-de-vegetação mostraram que a razão PA:R em três cultivares de feijão não se alterou de forma significativa com o aumento da densidade, sugerindo insensibilidade do feijoeiro ao inicialismo