EFICÁCIA DE HERBICIDAS APLICADOS EM PÓS EMERGÊNCIA PARA O CONTROLE DE CORDA DE VIOLA NA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR

Objetivou-se estudar a eficácia de herbicidas aplicados em pós emergência, isolados e em misturas, para o controle de Ipomoea grandifolia (Dammer) O’Donell, I. hederifolia L., I. purpurea (L.) Roth, I. quamoclit (L.) Merremia aegyptia (L.) Urban e M. cissoides (Lam.) Hallier f. na cultura da cana-de-açúcar. O experimento foi desenvolvido no período de novembro de 2007 a julho de 2008, no município de Jaboticabal, SP – Brazil. Foram avaliados seis tratamentos de herbicidas [trifloxysulfuron + ametryn (37 + 1463,07 g.ha-1), diuron + hexazinone (1170 + 330.g ha-1), metribuzin (1920 g.ha-1), (trifloxysulfuron + ametryn, 27,75 + 1097,3 g.ha-1) mais (diuron + hexazinone, 702 + 198 g.ha-1), metribuzin (960 g.ha-1) mais (trifloxysulfuron + ametryn, 27,75 + 1097,3 g.ha-1) e metribuzin (960 g.ha-1) mais (diuron+ hexazinone, 702 + 198 g.ha-1)] e duas testemunhas sem aplicação. Apesar das injúrias visuais ocasionadas inicialmente pelos herbicidas, isso não refletiu no número de colmos por metro e no diâmetro de colmos de cana. Porém, as plantas tratadas com diuron + hexazinone apresentaram menor altura de colmos. Os herbicidas diuron + hexazinone, isolados e em mistura com trifloxysulfuron + ametryn, foram eficazes no controle de todas as espécies de corda de viola. Enquanto a aplicação isolada de trifloxysulfuron + ametryn controlou satisfatoriamente apenas I. hederifolia. O metribuzin foi eficaz no controle I. grandifolia, I. quamoclit, M. aegyptia e M. cissoides. Além destas, a associação deste herbicida com diuron + hexazinone resultou em excelente controle de I. hederifolia. A mistura de metribuzin com trifloxysulfuron + ametryn foi eficaz para I. hederifolia, M. aegyptia e M. cissoides.