DESCRITORES DA ANATOMIA FOLIAR NA CARACTERIZAÇÃO DE ESPÉCIES DE BRACHIARIA COM DIFERENTES SENSIBILIDADES A HERBICIDAS

O objetivo deste trabalho foi caracterizar Brachiaria decumbens e Brachiaria plantaginea por meio de descritores da anatomia foliar, visando fornecer subsídios para o manejo químico dessas espécies daninhas. A semeadura foi feita em vasos plásticos, contendo solo, e mantidos em casa de vegetação. Foi amostrada a porção mediana do limbo da terceira folha expandida, a partir da base do colmo, compreendendo três estádios de desenvolvimento da planta: estádio 1 (plantas com 4-6 folhas), estádio 2 (plantas com 3-4 perfilhos), estádio 3 (plantas adultas no início do florescimento). Foram quantificados os seguintes descritores anatômicos foliares das regiões da quilha (nervura central) e da asa (porção compreendida entre a nervura central e a margem do limbo): área da seção transversal; porcentagens de epiderme das faces adaxial e abaxial, esclerênquima, endoderme (bainha do feixe vascular), feixe vascular e parênquima; espessura da folha; distância entre os feixes vasculares; comprimento do estômato; número de estômatos e de tricomas (curtos e longos). Os valores obtidos foram submetidos aos testes estatísticos multivariados de Análise de Agrupamento e Análise dos Componentes Principais. Os descritores da anatomia foliar permitiram diferenciar o estádio 3 de desenvolvimento da planta em relação aos demais, o qual pode ser considerado como o menos sensível à ação dos herbicidas aplicados em pós-emergência. Os descritores anatômicos também discriminaram as duas espécies e revelaram que B. decumbens pode provavelmente apresentar maior sensibilidade aos efeitos dos herbicidas que B. plantaginea