CONTROLO DE TIRIRICA COM SULFENTRAZONA E DICLOSULAME E A VIABILIDADE DE TUBÉRCULOS EM DIFERENTES PROFUNDIDADES DE SOLO

O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia dos herbicidas sulfentrazona e diclosulame no controlo de Cyperus rotundus na cultura da cana-de-açúcar e determinar a viabilidade dos tubérculos presentes nas profundidades de solo de 0-10 e 10-20 cm, numa área da usina Diamante, Jaú /SP, Brasil. O delineamento experimental utilizado foi blocos inteiramente casualizados, com quatro repetições onde foram dispostos os tratamentos referentes às cinco doses de diclosulame (75, 100, 150, 200 e 250 g s.a.ha-1), duas doses de sulfentrazona (800 e 1.000 g s.a. ha-1), além de duas testemunhas, uma mondada e outra não mondada. Aos 110 dias após a aplicação dos herbicidas, retiraram-se três subamostras de solo nas profundidades de 0 a 10 e 10 a 20 cm, tanto do sulco de plantação como do camalhão. Os tubérculos de tiririca encontrados nas amostras de solo foram colocados para germinar em casa-de-vegetação para avaliar a sua viabilidade. Após 45 dias da aplicação, os herbicidas propiciaram controlos considerados de regular a excelente (75,8 a 96 %). No sulco de plantação, todas as doses de ambos herbicidas reduziram o número de tubérculos dormentes nas duas profundidades estudadas. No camalhão, as doses de diclosulame de 100 e 150 g ha-1 aumentaram a mortalidade de tubérculos em 38 e 63 %, respectivamente. As doses intermediárias de diclosulame (150 g s.a.ha-1) propiciaram alta mortalidade de tubérculos e as doses elevadas (250 g s.a.ha-1) induziram à dormência dos tubérculos no sulco de plantação.