AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA NA DEPOSIÇÃO DE CALDA DE PULVERIZAÇÃO EM COMMELINA VILLOSA

O objetivo deste estudo foi o de avaliar a quantidade e qualidade da deposição da calda de pulverização em Commelina villosa considerando volumes de aplicação, pontas de pulverização e o ângulo dos bicos na barra de pulverização. Foram utilizadas cinco hastes de plantas/vaso. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com vinte repetições. O experimento foi conduzido em casa-de-vegetação e a aplicação da calda foi efetuada após 40 dias do transplantio das hastes, quando estavam com 30 a 40 cm de comprimento. Os tratamentos foram constituídos por cinco pontas de pulverização (TX-VK 6, TX-VK 8, XR 11001 VS, XR 11002 VS e TJ60 11002 VS), sendo testadas com diferentes ângulos de aplicação (0° e +30°) exceto a TJ60 11002 VS e, todas com dois volumes de calda distintos (100 e 200 L ha-1). Foi utilizado como traçador o corante Azul Brilhante FDC -1 na concentração de 500 ppm para determinar-se a deposição da calda de pulverização. Após a aplicação, vinte hastes de trapoeraba foram coletadas e lavadas em 100 mL de água destilada para posterior quantificação do traçador em espectrofotômetro. Os dados foram transformados em valores de depósitos por grama de massa seca e ajustados à curva de regressão pelo modelo de Gompertz. A ponta TJ60 11002 com volume de 200 L ha-1 proporcionou o melhor depósito pontual. A ponta XR 11001 VS no volume de 100 L ha-1 proporcionou a melhor uniformidade quando se utilizou o ângulo de 0º.