ESTUDO DO PERÍODO CRÍTICO DE INFESTAÇÃO EM BATATEIRA.

Este trabalho tem como objectivo central definir para a Região da Beira Litoral de Portugal a melhor época de combate às infestantes na cultura da batata, assente em estudos do período crítico de infestação. Para o efeito, caracterizaram-se os estados fenológicos da cultura e a periodicidade de germinação das infestantes.
O ensaio constituído por blocos casualizados com oito modalidades e quatro repetições foi instalado no Centro Experimental do Loreto, unidade da Direcção Regional de Agricultura da Beira Litoral (DRABL), Coimbra, tendo sido utilizada a variedade de Batata «Monalisa».
Durante o ciclo cultural foram feitas contagens e identificação das infestantes com periodicidade semanal, desde a terceira semana até à oitava semana após a plantação. Foram registados os estados fenológicos da cultura, também com periodicidade semanal, com início na quarta semana após a plantação, prolongando-se até à sexta semana. após a plantação.
No final do ensaio, procedeu-se ao cálculo da produção e ao calibre das amostras de batata.
Os resultados mostraram que não existe um período crítico definido para esta cultura, nas condições em que decorreu o estudo, mas sim um ponto crítico. As infestantes mais abundantes e que interferiram com a cultura durante o ensaio foram: Amaranthus retroflexus L., Chenopodium album L., Cyperus rotundos L. Datura stramonium L., Digitaria sanguinalis L., Fumaria officinalis L. e Galinsoga parviflora Cav.