COMBATE ÀS INFESTANTES DO MILHO EM MOBILIZAÇAO MÍNIMA.

Fizeram-se estudos de campo para o combate às infestantes da cultura do milho sujeita a mobilizaçao mínima aplicada à rega por sulcos. Realizaram-se os seguintes tratamentos, antes da sementeira da cultura: mecânico (destruiçao da parte aérea das infestantes e corte do topo do camalhao); sem tratamento (testemunha); simazina+paraquato (1,5 + 0,8 kg s.a/ha); paraquato (0,8 kg s.a/ha). Logo após a sementeira a parcela com o tratamento mecânico foi dividida em três parcelas: atrazina + metolacloro+ paraquato (1,2 + 1,8 + 1,0 kg s.a/ha); paraquato (1.0 kg s.a/ha); sem tratamento. Fizeram-se avaliaçoes da abundância, frequência, estados fenológicos das infestantes e produçao de milho. As modalidades de monda química mostraram vantagens em termos daqueles parâmetros.